quarta-feira, 13 de maio de 2009

ANATOMIA dos INSETOS
Anatomia de um inseto:
A- Cabeça
B- Tórax
C- Abdómen

1. antena 2. ocelo (inferior) 3. ocelo (superior) 4. olho composto 5. cérebro (gânglios cerebrais)6. protórax 7. artéria dorsal 8. tubos traqueais e espiráculos 9 . meso-tórax10. meta-tórax 11. asa (1ª) 12. asa (2ª) 13. intestino médio (mesêntero) 14. coração 15. ovário 16. intestino posterior (proctodeo) 17. ânus 18. vagina 19. gânglios abdominais 20. túbulos de Malpighi 21. tarsômero 22. garras tarsais 23. tarso 24. tíbia 25. fémur 26. trocanter 27. intestino anterior (estomodeo) 28. gânglios torácicos 29. coxa 30. glândula salivar 31. gânglio sub-esofágico 32. peças bucais.



A IMPORTÂNCIA da ENTOMOLOGIA
A entomologia é o ramo da biologia que estuda os insetos e, nos dias atuais tem crescido muito os ramos de "entomologia econômica", que envolve insetos de importância na agricultura, na indústria de defensivos agrícolas, entretanto, devido ao mal uso e de sérios danos ambientais e na saúde por causa da toxidade e cumulatividade na cadeia alimentar, muitas pesquisas tem direcionado para o controle biológico de insetos, com o uso de certos fungos, vírus, bactérias e até insetos carnívoros no combate de pragas na agricultura, e importância nos estoque de alimentos, onde alguns insetos pode comprometer uma safra de grãos inteira; e a "entomologia médica", com insetos de importância na saúde pública, pois muitos são vetores de doenças como as pulgas( peste bubônica), piolhos, percevejo triatomídeo vetor da doença de chagas , os mosquitos , entre eles, o Aedes aegypti, vetor da dengue e da febre amarela e, eventualmente moscas e baratas devidos aos seus hábitos alimentares em áreas urbanas. Inúmeros são os insetos que produzem benefícios diretos para o ser humano, como as abelhas de mel e outros insumos, a mariposa Bombyx mori ou bicho-da-seda pela produção de seda; ou pelos besouros e moscas necrófagas, ou seja, alimentam-se de fezes e animais mortos e as formigas e os cupins que reciclam a matéria orgânica no solo atuando sobre plantas mortas e, nesse sentido até as baratas na natureza exercem são importantes, pois devido ao seu hábito alimentar de aproveitar quase todos os detritos orgânicos realizam à reciclagem dos nutrientes, mas quando estão em certos locais (esgotos, lixões,...) nas cidades tornam-se um problema de saúde pública. Em suma, os insetos são de extrema importância para à manutenção do equilíbrio dos ecossistemas terrestres, sem os quais à reciclagem e toda a cadeia alimentar entraria em colapso, já que são a base alimentar de muitos outros animais, inclusive para o ser humano em algumas culturas em nosso planeta, onde certos insetos, como gafanhotos, besouros, içás,larvas de insetos e até baratas são iguarias com alto teor protéico.Portanto, não são os "vilões" mas sim, o ser humano com sua forma de degradação dos ambientes naturais no seu contexto predatório da sociedade de consumo. Devemos respeitar e admirar aqueles que realmente conquistaram o nosso planeta como um todo, pois mais da metade das formas de vida simplesmente são insetos.

A IMPORTÂNCIA das BARATAS


As baratas são insetos cosmopolitas, ou seja, ocorrem em todo planeta, com aproximadamente 4.000 espécies existentes, somente poucas convivem com o ser humano nas residências, seu tamanho varia de uns poucos milímetros até por volta de 10 centímetros de comprimento em algumas espécies selvagens e, no geral, com cores escuras. O tal “brilho” das asas que muitos reparam é devido à quitina, uma proteína semelhante à nossa queratina que confere ao corpo dos insetos impermeabilidade à perda d’água e garantia de certa resistência à impactos. A espécie Periplaneta americana é a mais comum nas cidades brasileiras, seu vôo assusta inúmeras pessoas dentro das casas, seu habitat nos esgotos tornou-a vetora para alguns microorganismos, como algumas bactérias, cistos de protozoários e alguns ovos de vermes, onde todos podem serem constatados nas sua pernas espinhosas. Outra espécie também muito comum é a Blatella germanica, bem menor que à anterior, com movimentos rápidos e gosta de ficar em áreas de armazenamento de material orgânico, como estoque de alimentos. Essas duas espécies citadas não existiam em nosso território, mas na verdade foram importadas da Europa por navios desde à época da colonização no continente americano. As baratas são insetos de hábitos noturnos, embora não sejam sociais como os cupins e as formigas são gregárias, isto é, ocorrem em grupos e são hemimetábolos, ou seja, com metamorfose incompleta (simples) em três estágios: ovo, ninfa(jovem) e adulto. São seres onívoros, alimentando-se de tudo que for orgânico pelo seu eficiênte aparelho bucal mastigador, tornando-as animais úteis na natureza, pois ajudam na reciclagem da matéria orgânica no meio ambiente e são importantes na cadeia alimentar de diversos animais.Em testes de laboratório resistiram à exposição radioativa, certamente após uma guerra nuclear elas estarão presentes, então, por tudo citado elas merecem nosso respeito pois elas não são seres maléficos, pois isso depende do referencial ambiental. Impressionante!



A Questão da DENGUE < Aedes aegypti >

O mosquito adulto da dengue costuma viver próximo ao seu criadouro, onde ocorre seu acasalamento e acredita-se que o mosquito pode voar até mil metros de distância do local de nascimento. Possuem hábitos diurnos e sugam seiva de vegetais, mas para manutenção dos ovos, a fêmea pratica hematofagia alimentar, ou seja, alimenta-se de sangue e podem por até 200 ovos por vez, após à postura dos mesmos há o desenvolvimento embrionário em até três dias em condições favoráveis, depois ocorre à eclosão dos ovos originando as formas larvais que passam por quatro estágios na água, desde que esteja imóvel e preferencialmente limpa, então , qualquer água armazenada (vasos, pneus,reservatórios, garrafas, latas,...) é um potencial criadouro dos mosquitos. Em condições favoráveis, o período larval e a pupa pode completar-se em 5 à 10 dias e torna-se uma forma apta ao vôo. O mosquito torna-se um vetor após ingerir sangue infectado, então, o arbovírus vai se localizar nas glândulas salivares do mosquito fêmea, onde se multiplica após 8 à 12 dias de incubação, ficando infectado pelo resto de sua vida (até 8 semanas). No ser humano, após à picada do mosquito infectado, os sintomas aparecem após 3 a 15 dias ( período de incubação), em média 6 dias. Mas o período de transmissibilidade começa um dia antes do aparecimento dos sintomas e vai até o sexto dia da doença e normalmente os sintomas duram de 2 a 7 dias, incluem a febre alta (39 à 40 º C) repentina, cefaléia, artralgia (dor nas articulações), dor abdominal, vômitos, erupção da pele, algumas hemorragias e perda de líquidos, todos esses caracteriza à forma clássica da doença. Porém, em alguns casos (surgimento de um sorotipo diferente em alguém que já teve dengue) ocorre uma evolução rápida para à forma hemorrágica do dengue, que além dos sintomas citados, há manifestações hemorrágicas graves, hepatomegalias e insuficiência circulatória; isso devido à alteração da coagulação sanguínea, plaquetopenia e coagulação intravascular disseminada de alta gravidade, causando insuficiência circulatória (choque) e morte. A manifestação do dengue hemorrágico esta vinculado a um mecanismo imunológico devido à sensibilidade prévia causada pela dengue clássica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário